Os músculos são responsáveis pela função física do corpo

hex

Trilhões de miócitos, ou células musculares, compõem o tecido muscular. Cada um pode se contrair passando proteínas, conhecidas como actinas e miosinas, de um para o outro. A habilidade de mudar de forma permite que eles gerem a força tênsil coletiva que realiza o trabalho físico do corpo:

  • Movimentos
  • Manutenção da postura
  • Respiração
  • Regulação da temperatura
  • Comunicação
  • Circulação sanguínea
  • Constrição de órgãos e vasos sanguíneos

Os músculos fazem o trabalho que mantém todos os outros tecidos e órgãos dos nossos corpos saudáveis. Isso explica por que os atletas, que se concentram em desenvolver e treinar os músculos, têm uma saúde tão boa. Os músculos também armazenam e regulam materiais como aminoácidos e glicose, o que faz com que eles sejam essenciais para a saúde de todas as células do corpo humano.

Uma redução da massa muscular afeta a saúde do corpo todo

Como os músculos dão apoio aos tecidos, doenças associadas à saúde muscular podem levar ao surgimento de enfermidades em outros órgãos. Por exemplo, a perda muscular relacionada à idade não só causa perda de força, como também impacta o metabolismo e o consumo de oxigênio. Ela afeta cada célula do corpo humano e pode levar à debilitação total, o que impede que muitos idosos tenham uma vida independente e gratificante.

Uma alimentação saudável e balanceada aliada à prática de exercícios e o repouso pode oferecer os nutrientes e o estímulo necessários para manter os músculos fortes e funcionais. Como a saúde muscular beneficia todas as células do corpo, ela reduz o risco de doenças e ajuda a manter a vitalidade.

A perda muscular ocorre quando o corpo degrada proteínas mais rapidamente do que as sintetiza. Após os 40 anos, uma pessoa comum perde de 1% a 1,5% de sua massa muscular todos os anos. Essa velocidade aumenta com o tempo e, até os 80 anos de idade, uma pessoa comum terá perdido de 30% a 40% da massa muscular total e de 20% a 40% da força. Embora essa seja uma parte natural do envelhecimento, outros fatores podem acelerar o processo. Doenças, lesões, inatividade e alimentação inadequada são os principais responsáveis pelo aumento da velocidade da perda muscular e podem dificultar a capacidade do corpo de recuperar os músculos perdidos.

Até mesmo uma pessoa que tenha uma perda muscular mínima ainda pode sentir os efeitos. É possível que ela não consiga se exercitar por tanto tempo ou treinar de maneira tão intensa. Ou talvez ela não consiga carregar uma sacola de compras por um lance de escadas sem se sentir fadigada. Com frequência, essas pessoas têm maior probabilidade de sofrer uma lesão. Com o tempo, se a perda muscular continuar, isso pode impactar a qualidade de vida geral.

O que causa a perda muscular?

  • Doença ou lesão
  • Estresse físico ou treinos em excesso
  • Dietas e restrição calórica
  • Alimentação inadequada
  • Atividade reduzida

A saúde muscular debilitada afeta negativamente:

  • O peso e a composição corporal
  • O desempenho atlético
  • A capacidade de ter um estilo de vida saudável
  • A mobilidade e a saúde global
  • A qualidade de vida geral
  • A saúde metabólica

Os músculos são essenciais para a função metabólica, a força, a resistência e a saúde e bem-estar gerais.

Além de suas principais tarefas de manter e fornecer apoio à locomoção, respiração e postura, os músculos são essenciais para preservar o equilíbrio no metabolismo proteico do corpo todo. Se não houver ingestão de nutrientes, os músculos agem como um depósito de aminoácidos, permitindo que seu corpo mantenha a síntese proteica nos tecidos e órgãos vitais. Em outras palavras, durante períodos de privação de nutrientes, seu corpo depende dos músculos para manter as funções corporais normais.

Outros benefícios de ter músculos saudáveis incluem:

  • Menor risco de lesão. Músculos mais fortes podem melhorar o equilíbrio e reduzir o risco de quedas.
  • Conseguir continuar ativo e praticar exercícios ou treinar mais ajuda a manter a força óssea.
  • Maior taxa metabólica. Sua taxa metabólica é a velocidade em que você queima calorias. Os músculos queimam significativamente mais calorias do que a gordura — 453 g (1 lb) de músculo queima de 7 a 10 calorias por dia, contra 2 a 3 calorias por dia queimadas por 453 g de gordura.

Pt. 1 – Entendendo a proteína

Depois da água, as proteínas são um dos componentes mais presentes no corpo humano, por vezes chamadas de “pilares da vida”. As proteínas são feitas de várias unidades menores, os aminoácidos. Alguns aminoácidos são chamados de “Essenciais”, porque não podem ser produzidos pelo corpo humano. Em vez disso, eles devem ser adquiridos por meio da alimentação. Nossos corpos não podem armazenar aminoácidos individuais, então precisam de um consumo diário deles por meio das proteínas.

Pt. 2 – Proteínas e saúde muscular

Para melhorar a função e a força físicas dos músculos, é necessário ter uma ingestão adequada de proteínas. As proteínas podem fornecer os aminoácidos, que não só estimulam a síntese de proteínas miofibrilares (a unidade básica das células musculares), como também das proteínas mitocondriais, necessárias para produzir energia. Assim, é provável que o aumento de aminoácidos por meio da ingestão de proteínas melhore a função metabólica geral dos músculos.

Para manter uma função corporal saudável, metabolizamos constantemente proteínas a fim de substituir o que foi danificado pelo funcionamento normal ou por estressores externos, como treinos atividades, doenças ou lesões. Idealmente, a síntese proteica (fabricação de novas proteínas) e a degradação proteica (liberação de aminoácidos a partir das proteínas) ficam em equilíbrio. Quando a proteína se degrada mais rapidamente do que é sintetizada, geralmente perdemos massa muscular. Um erro comum é acreditar que o consumo de proteínas por si só pode remediar o problema.

 

A maior ingestão de proteínas nem sempre resolve o problema de perda muscular

Embora o consumo de proteínas vá fornecer algum apoio, consumir uma quantidade suficiente para combater de forma eficaz os efeitos da perda muscular pode não ser uma situação realística, e outros fatores subjacentes, como a idade, podem reduzir a resposta do músculo ao maior consumo. Consumir uma proteína de alta qualidade, como a encontrada em produtos animais, ou uma mistura de proteínas vegetais é uma forma de garantir que tenhamos uma ingestão adequada de proteínas. No geral, aceita-se que o consumo de 30 g de proteína de alta qualidade três vezes por dia (de manhã, de tarde e de noite) fornece os aminoácidos necessários para a maioria dos adultos.

O aumento da ingestão de proteínas acima dessa quantidade geralmente não oferece nenhum benefício adicional e pode, na verdade, gerar calorias indesejadas.

Bibliography
Betts, J.G., P. Desaix, E. Johnson, J. E. Johnson, O. Korkol, D. Kruse, B. Poe, J.A. Wise, and K.A. Young. 1999-2018. Chapter 10: Muscle Tissue, in Anatomy and Physiology, Open Stax
https://cnx.org/contents/FPtK1zmh@9.1:IxOtcn0x@4/Overview-of-Muscle-Tissues
Revisado em 16 de maio de 2018.
Dideriksen, K., S. Reitelseder, and L. Holm. 2013. Influence of Amino Acids, Dietary Protein, and Physical Activity on Muscle Mass Development in Humans. Nutrients. 2013 Mar; 5(3): 852–876, on the US National Library of Medicine, National Institutes of Health website
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3705323/
Revisado em 17 de maio de 2018.